CDC encontra fortes evidências ligando acetato de vitamina E ao surto de EVALI


O Centers for Disease Control detalhou quatro novos estudos de caso que fortalecem o vínculo entre o surto de lesão pulmonar EVALI e um agente espessante chamado acetato de vitamina E. Segundo a agência, o número de visitas às urgências relacionadas a sintomas do tipo EVALI vem diminuindo após um pico no verão passado. Os estudos também detalham casos de reinternação e muito mais.


 No verão passado, o CDC alertou que um surto envolvendo uma lesão pulmonar grave, eventualmente denominada EVALI, estava afetando documentos de todas as idades. Nos meses seguintes, mais de 2.000 pessoas foram hospitalizadas devido a essa condição, que matou dezenas de vidas. Tanto o CDC quanto o FDA se uniram às autoridades de saúde locais e estaduais para investigar o surto.

 Um vazamento alegou que o acetato de vitamina E, um agente espessante, havia sido identificado em várias amostras coletadas de pacientes. O CDC logo confirmou que o composto era uma causa potencial por trás do EVALI, mas alertou que não havia sido encontrado em todos os casos e que ainda havia outras causas em potencial.

 Em sua última atualização sobre o assunto, o CDC disse que um novo estudo de caso fortaleceu o vínculo entre o acetato de vitamina E e esse surto de lesão pulmonar. Especialistas analisaram amostras de fluidos de LBA coletadas de pacientes em 16 estados e descobriram que 48 das 51 continham esse agente espessante. O mesmo composto não foi encontrado nas amostras de fluidos retiradas de pessoas saudáveis.

 A agência alertou repetidamente o público para parar de vaporar até que a causa desse surto possa ser identificada. Após o vazamento inicial envolvendo acetato de vitamina E, muitos fabricantes se mobilizaram para remover esse ingrediente de seus líquidos, mas ele ainda pode estar presente em muitos produtos. Além disso, o CDC ainda não determinou se existem outros compostos ou contaminantes contribuindo para esse surto.

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.