Pesquisa de saúde do Facebook ajuda Carnegie Mellon a rastrear casos de COVID-19

Pesquisa de saúde do Facebook ajuda Carnegie Mellon a rastrear casos de COVID-19

O Facebook diz que está trabalhando com o Centro de Pesquisa Delphi da Carnegie Mellon University para ajudar a rastrear e prever a possível propagação da doença infecciosa COVID-19. O esforço vem na forma de uma pesquisa que alguns usuários do Facebook terão a oportunidade de realizar; ele fará perguntas relacionadas a sintomas e muito mais, que serão usadas para gerar mapas de calor com base nos dados.


 A falta de testes adequados nos Estados Unidos resultou em uma imagem incompleta dos atuais surtos de coronavírus em todo o país. É improvável que isso mude tão cedo, então algumas organizações e instituições estão recorrendo a dados auto-relatados para ter uma idéia de como as comunidades estão sendo impactadas. A mais recente delas é a pesquisa da Carnegie Mellon.

 Os usuários do Facebook começarão a ver um aviso no topo de seus Feeds de Notícias, que lhes dará a oportunidade de responder às perguntas. Os dados são mantidos em sigilo, de acordo com a universidade e o Facebook; os pesquisadores obterão apenas um número de identificação aleatório para a pesquisa, não a identidade real do usuário do Facebook. A pesquisa em si não ocorre na plataforma do Facebook.

 A pesquisa tem como objetivo rastrear a possível propagação do coronavírus pelas comunidades onde os testes reais não estão ocorrendo em número adequado. As respostas serão usadas para criar mapas de calor com base em sintomas auto-relatados que podem indicar que o usuário tinha ou atualmente possui COVID-19, embora isso não possa ser confirmado sem um teste.

 Essas informações podem ser úteis para cientistas e funcionários, ajudando-os a determinar onde pode haver surtos do coronavírus para fins de teste. As comunidades podem focar melhor nas áreas que precisam de recursos, mesmo que o teste não esteja disponível em número suficiente; também pode ajudar a mostrar, com o tempo, quais comunidades podem começar a reabrir suas lojas.

Sem comentários

Com tecnologia do Blogger.